Número total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A minha opinião conhecimento e sabedoria sobre a hipnose 14

O que é a Hipnose?
Leia muito bem este artigo e medite!..

Feche os olhos e recorde-se da última vez em que fez algo de que tenha verdadeiramente gostado, como por exemplo um agradável passeio pelo parque, uma ida à praia, etc. Recorde esses momentos o mais pormenorizadamente possível. Lembra-se dos cheiros, sons ou sensações? Agora abra os olhos. O que acaba de experimentar é uma forma de hipnose muito suave. A hipnose é um estado alterado de consciência, semelhante ao “transe”, durante o qual o indivíduo sente um profundo relaxamento físico e emocional. O estado de transe hipnótico é um estado de concentração profunda e absoluta, em que o paciente foca toda a sua atenção no que lhe é dito, mantendo-se sempre consciente, nunca perdendo a sua compostura nem fazendo nada contra a sua vontade.
A Hipnoterapia ou Hipnose Clínica.
É o uso da hipnose que tem por fim ajudar o paciente, de forma a que este possa vencer e lidar com problemas e distúrbios de natureza psicológica e psicossomática, dificuldades emocionais, superar hábitos e vícios, traumas, etc.
Situações em que a Hipnoterapia pode ajudar:
Problemas de Auto-Confianca/Auto-Estima
Ansiedade e Stress
Depressão
Medos e Fobias
Ataques de Pânico
Consumo de Tabaco
Controlo de Peso
Anorexia/Bulimia
Sofrimento/Pesar
Sentimento de Culpa
Vencer o Trauma
Insónia
Gravidez e Parto sem Dor
Sindroma de Intestino Irritável
Preparação para Exames
Dor de Cabeça
Melhoria na Prática de Desporto
Hábitos e Vícios
TÉCNICAS USADAS EM HIPNOTERAPIA. Regressão Analítica.
Esta técnica terapêutica permite o acesso ao subconsciente. A sua mente subconsciente pode ser comparada com um “armazém” de vasta capacidade, onde tudo o que você tenha jamais feito, dito, ouvido, visto e sentido, está armazenado. Ela funciona automaticamente. Não racionaliza nem usa lógica. Simplesmente armazena dados. Através da regressão o seu subconsciente ajuda-o a descobrir a origem do conteúdo negativo de experiências do passado. Tal situação permite que a sua mente encontre soluções para problemas com raízes profundas. O resultado obtido é a libertação de condicionamentos que surgiram na infância e que podem estar na origem de problemas físicos e psicológicos.
Terapia de Sugestão. “Reprogramando” o Subconsciente.
Todos nós estamos constantemente “reprogramando” o nosso subconsciente através das experiências vividas, pensamentos e diálogo interno. Se este for negativo, o seu subconsciente armazenará estas crenças e emoções negativas, criando hábitos de pensamento e comportamento que com o decorrer do tempo poderão vir a prejudicar a sua qualidade de vida e saúde. O mesmo princípio aplica-se a atitudes e pensamentos positivos e construtivos. Com a reafirmação, através da sugestão, de sentimentos de auto-confiança e auto-estima, podemos “reprogramar” o nosso subconsciente.
O resultado é muito positivo. Existem muitas outras técnicas utilizadas em Hipnoterapia que quando administradas por um profissional devidamente qualificado, produzem resultados muito eficazes e duradouros. Estas técnicas incluem a auto-hipnose, relaxamento, visualização, dessensibilização, dissociação, regressão a vidas passadas, etc. A escolha das técnicas a utilizar depende das necessidades, problemas, objectivos e personalidade do paciente, transformando assim cada consulta numa experiência única e pessoal.
AS PERGUNTAS MAIS FREQUENTES:
Pergunta: Posso ser hipnotizado?
Resposta: Através de estudos recentes, concluiu-se que o ser humano entra num estado psicologicamente idêntico ao da hipnose, aproximadamente cada noventa minutos. Isto pode acontecer quando você dá por si a “sonhar” acordado, a ler um livro ou mesmo antes de adormecer.
Pergunta: O que se sente quando se é hipnotizado?
Resposta: A maioria dos pacientes diz sentir uma maravilhosa sensação de relaxamento físico e mental. Outros descrevem essa sensação como sendo inspiradora e de realização total.
Pergunta: Existe perda de controlo por parte do paciente durante o estado hipnótico?
Resposta: NÃO. Ninguém o pode hipnotizar contra a sua vontade, assim como você não pode ser forçado a fazer ou dizer algo que não queira. Você tem a liberdade de rejeitar quaisquer sugestões a qualquer momento, durante a sessão.
Pergunta: Existe a possibilidade de ficar preso no estado de transe?
Resposta: NÃO. Todos nós entramos e saímos em estado de transe várias vezes por dia. O máximo que poderia acontecer, seria você adormecer e acordar sentindo-se extremamente relaxado.
Pergunta: Lembrar-me-ei de tudo o que se passou durante o transe?
Resposta: SIM. A maior parte das pessoas fica surpreendida pelo facto de se lembrar do que aconteceu durante a consulta. Lembre-se que o transe hipnótico é somente um estado de consciência alterado, durante o qual você está sempre consciente relativamente a tudo o que se passa e que é dito.
Pergunta: De quantas sessões de hipnoterapia necessitarei?
Resposta: O trabalho com o subconsciente é um processo poderoso que geralmente surte efeitos a curto prazo. Na generalidade, os pacientes sentem algumas mudanças num curto espaço de tempo. Podem sentir-se mudanças positivas depois de uma ou duas sessões, todavia a situação pode variar de pessoa para pessoa.
Pergunta: A hipnoterapia não é perigosa?
Resposta: Quando praticada por um hipnoterapeuta profissional, devidamente qualificado, a hipnoterapia é uma “ferramenta” potente e segura, livre de quaisquer efeitos nefastos ou desagradáveis.
Pergunta: A hipnoterapia substitui a medicina convencional?
Resposta: Definitivamente não! A hipnoterapia não substitui a medicina convencional em nenhuma circunstância! Se você tem algum problema de saúde, é imperativo que consulte o seu médico, informando o seu hipnoterapeuta sobre alguma medicação que lhe possa ter sido prescrita, assim como sobre alguma doença que possa ter sido diagnosticada.
Pergunta: Como devo escolher um hipnoterapeuta?
Resposta: Certifique-se sempre que escolhe um hipnoterapeuta que seja profissionalmente qualificado. Igualmente importantes são a personalidade e carácter do mesmo. Você deve confiar e sentir-se à vontade com um profissional com quem poderá ter de discutir assuntos muito pessoais e sensíveis.
Pergunta: As sessões de hipnoterapia são todas confidenciais?
Resposta: SIM. Nenhuma informação será fornecida a quem quer que seja sem autorização prévia dada pelo cliente, excepto nos casos previstos na lei do país em questão.
"Estes são os pacientes que realmente podem ser ajudados com a hipnose", disse.
O Dr. Wicks diz que a técnica pode fazer mais do que apenas aliviar a dor."Podemos também usar a hipnose para distorcer o conceito de tempo, de modo que em vez de sentirem que estão lá por três ou quatro horas, parece ser apenas meia hora. Então eles toleram e enfrentam melhor o procedimento", disse.Wicks afirma que as crianças, como um grupo, são muito boas com a hipnose. "Nós nos fazemos valer de sua habilidade natural de usar a imaginação, de fantasiar e de 'dissociar', que significa sentir como se estivessem longe em outro lugar em sua mentes, e fazendo algo que gostam de fazer.
Em um tratamento psicológico comum, o paciente apenas fala e, gradualmente depois de inúmeras sessões, a pessoa vai se aproximando daquilo que a incomoda. Já na hipnose clínica, muitas vezes, o paciente encara os seus problemas logo na primeira sessão, pois tem a oportunidade de vivenciá-los desde o primeiro instante. A escolha de um ou outro tratamento é uma decisão pessoal que provavelmente trará os mesmos benefícios as paciente. A diferença talvez, fique por conta do caminho tomado e do seu tempo de percurso.
A resposta está no afecto.
No nosso psiquismo, o afecto é responsável pela maneira que percebemos e sentimos a realidade. Todo o significado sentimental e emocional sobre aquilo que vivemos faz parte da nossa afectividade. É o afecto de cada indivíduo que determinará se uma experiência é agradável ou desagradável, dolorosa ou prazerosa, ou seja: é este o sentimento que atribuirá valores positivos e negativos às experiências e vivências.
A depressão é um transtorno da afectividade ou do humor, na qual ocorre um alteração psíquica e orgânica. Nesse caso, há uma alteração nos neurotransmissores, diminuindo a produção de serotonina - responsável pelas sensações de prazer e bem-estar no organismo. Tudo o que acontece na vida de uma pessoa, passa pelos filtros do afecto e produz uma resposta que depende do estado de cada um. Ao lidar com alguém deprimido, o terapeuta deve transformar esses filtros, fornecendo ao paciente instrumentos capazes de resgatar recursos internos, para que ele mesmo possa conscientizar-se da relação que está a sentir.

HIPNOSE INTEGRATIVA CONDICIONATIVA & RELAXAMENTO INTEGRATIVO CONDICIONATIVO (Hipnose clínica )
TÉCNICA TERAPÊUTICA RÁPIDA E EFICIÊNTE.
QUE CONDICIONA POSITIVAMENTE PARA UM APROVEITAMENTO MELHOR DA VIDA E TODAS AS SUAS OPORTUNIDADES.
Podemos dizer simplificadamente, que Saúde é o estado de harmonia entre mente, corpo, espírito e meio ambiente. O corpo humano, para realizar as suas funções e responder aos estímulos vivênciais satisfatoriamente, mantém, naturalmente, um estado permanente de tensão. Contudo, quando essa tensão eleva-se, ocorre o stresse, quando não cuidado pode chegar à depressão e outras formas de desequilíbrio, que impedem o bom funcionamento do organismo, produzindo doenças, diminuindo a resistência imunológica, gerando desequilíbrio metabólico e acelerando o envelhecimento corpóreo.
Caracterizado por um profundo relaxamento onde o cliente mantém a lucidez e se mostra altamente receptivo às sugestões, aos novos condicionamentos. É um estado de baixa actividade psíquica e orgânica que aumenta a capacidade de concentração facilitando a execução de determinadas actividades orgânicas internas e externas. Aumentando e melhorando o trabalho das células, glândulas, órgãos e dos sistemas: físicos, mentais, emocionais e espirituais. Favorecendo uma recuperação mais rápida e mais eficiente. Diminuindo os factores que intensificam os desequilíbrios e os incómodos. Optimiza e maximiza os resultados em qualquer tratamento. A sua acção induz a um relaxamento, um estado de paz que, em níveis profundos, tranquiliza e reeduca o ritmo orgânico, produzindo saúde.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS.
Auto Estima, Força de Vontade, Ansiedade, stresse, Depressão, Hipertensão, Insónia, Fadiga Física e Mental, Reflexos, Condicionamento Físico, Concentração de Memória, Dependências (Álcool, Fumo, Drogas em geral, inclusive Medicamentos), Gagueira, Tiques Nervosos, Traumas, Fobias, Síndromes, Obesidade, Compulsividade, Desvios Comportamentais, Impotência Sexual, Distúrbios (Sexuais, sono, da Idade e Emocionais), Timidez, Oratória, Preparação de pacientes pré e pós cirurgia, Controle da Dor, Doenças Psicossomáticas em geral, anestesia, analgesia, hiperamnésia, amnésia, hiperistesia, TPC-Tensão Pré-Concursos, entre outras aplicações.
TORNE-SE: CALMO, TRANQUILO, SERENO E HARMONIOSO
Como seres humanos, somos induzidos e condicionados desde o momento de nosso nascimento, assumimos a capacidade de psicossomatização e crescemos sob a influência do meio ambiente em que vivemos. Factos que certamente influenciam no comportamento humano. Por outro lado a avalanche de informações que chegam pelos veículos de comunicação, numa exploração do sensacionalismo, os mídia tem-se aproveitado disso para ampliar de forma inconsequente, o sexo, a violência, medo, insegurança na população, utilizando-se de ferramentas indutoras, na forma de desenhos animados, filmes, telejornais, novelas, etc.... e, cada vez mais a população tende a conviver com a ansiedade, stresse e depressão.
Porque de repente perdemos a motivação por algo ou alguém como: namorada, esposa ou marido, trabalho e outros? Motivação significa dar um motivo que leve a uma acção. Esta acção é motivada por sentimentos que levam o indivíduo a sentir-se bem, ou até mesmo uma neutralidade, como cumprir uma formalidade ou regra da boa educação. Para sentir-se bem, de alguma forma é necessário que a acção leve a uma sensação de prazer. Prazer esse que pode "ser mantido, aumentado ou buscado. É importante fazermos uma retrospectiva das situações vividas e averiguar cuidadosamente o que deixamos de prestar atenção, bem como buscar no novo, algo que nos motive.
Lendo esta página você mostra que é uma pessoa especial, porque busca conhecimentos e aprimoramento pessoal, para activar a sua vida.
É necessário reencontrar a sua auto-motivação, o seu entusiasmo natural, a sua força interna, para poder dar, um novo significado a sua vida. Bons motivos e estímulos, em nível, físico, emocional, intelectual e espiritual.

A minha opinião conhecimento e sabedoria sobre a hipnose 13

Regressão de Idade! 3

Terapeutas podem pressupor que a regressão de idade acontecerá com comentários como: "Quando você estiver voltado no tempo com a idade de sete anos, você ficará interessado em ver coisas que você pode relembrar sobre a sua sala de aula, quem está sentando do seu lado direito, se as carteiras têm pés de metal fixados no chão ou não...".
"Quanto mais depressa você se torna consciente da sensação de mergulhar no passado, mais você focaliza a sua atenção naquilo que parece mais interessante ou relevante..."
"Enquanto a sua mente inconsciente começa a seleccionar o melhor momento para a sua mente consciente tornar-se consciente das mudanças do tempo, você pode simplesmente tornar-se absorvido na sensação do movimento da respiração através do seu corpo...
"Duplos vínculos podem ser feitas sugestões como "Você pode lembrar de um certo sentimento de quando você era um menino pequeno, mas talvez, em vez disto, coisas virão para si através de uma imagem".
É desejável ligar o tempo dos verbos enquanto o indivíduo está imergindo na regressão. Exemplo: "Lembre como aquele quintal parecia", "olhe ao redor do quintal agora", "lembre o cheiro da cozinha da sua mãe novamente". Note que os comandos e as sugestões não devem ser escolhidos fortuitamente, mas seleccionados para captar a experiência actual do cliente em transe. Ache qual é a experiência pergunte ao cliente sobre ele durante a hipnose ou através dos sinais de sim e não.
Outros comentários que ajudam o cliente a se sentir mais envolvido na regressão são: "E enquanto esta experiência se torna mais e mais vívida" e "...você pode ir em frente e mesmo começar a misturar a distinção entre o que era na época e o que é agora", e "...aquele ar de confiança que você tinha então, você pode ter agora, aqui, tão breve ou tão demorado quanto for confortável para você".
Yapko (1990), para aliciar a regressão de idade, menciona frases fazendo pontes entre o afectivo e o somático, como "...a primeira vez que você teve aquele sentimento / sensação / experiência...".
Desorientações temporais são mencionadas como outra estratégia para facilitar regressões, enquanto as progressões de idade são guias subsequentes para a regressão. Yapko sente que essas estratégias capacitam o cliente a ficar mais distante emocionalmente das experiências negativas do passado, as quais permitem à pessoa cessar mais facilmente memórias e experiências e usá-las mais construtivamente na terapia.
Com o uso de frases dissociativas, muitas vezes é bom encorajar o sujeito hipnótico a experienciar duas coisas diferentes ao mesmo tempo, com o terapeuta oferecendo uma oportunidade única de usar o consciente e o inconsciente em frases dissociativas que ajudarão ao paciente na regressão de idade, além de levar com ele recursos valiosos do presente que podem permitir experiências serem trabalhadas novamente. Por exemplo: "A sua mente inconsciente pode voltar para aquela memória de grande dor da sua infância da qual falávamos, enquanto a sua mente consciente volta no tempo com o seu intelecto, para que você possa usá-lo de uma forma mais útil, para realmente ajudá-lo muito mais agora naquela primeira experiência, para que você possa se tranquilizar, entendendo tudo de um modo mais útil, talvez menos pessoa, um modo que permita a você, finalmente, ser capaz de falar que tudo está resolvido".
Em essência, o formato consciente e inconsciente nas frases dissociativas oferece uma oportunidade imediata para o terapeuta encorajar a combinação do uso de recursos do presente e do passado de modo a promover mudanças psicológicas.
Metáforas e exemplos naturalísticos. Nós encontramos o método de uso de uma "metáfora envolvente" para ser utilizada com a regressão de idade. Isto se refere ao começo de um tipo de uma história exacta, alinhada em conjunção com o que a pessoa está relembrando, e o uso da metáfora a ser introduzida, para ajudar a modificar a experiência regressiva do cliente, para que ela seja, no máximo, terapêutica.
Um exemplo poderia ser uma metáfora que fala de segurança. Por exemplo, um cliente que está reexperienciando uma dor muito intensa ou um stressante aspecto do seu passado, pode ser convidado a imaginar que ele está vendo o evento como se estivesse a passar na televisão através do videocassete ou DVD. Esta é a nossa adaptação de uma intervenção clínica comum, onde o cliente traumatizado parece ver o transe ocorrido como num filme. Nós gostamos muito mais dessa adaptação porque ela prepara o cliente com o seu próprio controle.
E a qualquer momento o vídeo pode ser desligado, adiantado, rebobinado ou pausado.
Os indivíduos podem construir livrarias e vídeos dentro de suas cabeças usando esta metáfora, com sessões para auto-ajuda, ou talvez filmes de comédia, ou talvez com salas para editar ou uma para restos.
Todas essas palavras podem ser espalhadas através das sessões de hipnose para organizar a atenção do cliente ao redor das suas próprias habilidades para editar, ajudar a si mesmo, ou acrescentar alívios cómicos para memórias e experiências perturbadoras. Outro modo de produzir alguma segurança e distância é a pessoa ter a visão da experiência como se estivesse a olhar através do vidro, como uma comunicação à sua disposição. É essencial que o cliente sinta-se capaz de mexer no tom da experiência de regressão de idade antes de fazer este tipo de trabalho hipnótico. O sentimento de controle de mexer no tom da experiência da dor, permite um contexto seguro, no qual a cura acontece. Muitas pessoas não querem relembrar experiências negativas porque a dor que é esperada é muito grande. Demonstrando para os clientes que eles podem controlar os seus desconfortos, as resistências inconscientes são destruídas, atenuando assim as repressões. Nós costumamos a trabalhar com pequenos traumas primeiro para que o cliente pratique com essas estratégias e controlar sentimentos de experiências internas, e assim poder trabalhar com situações mais desafiadoras.Um outro modo de usar histórias na psicoterapia é levar as pessoas para as suas próprias histórias do passado, através da descrição de experiências universais. Erickson usava aliciar regressões de idade através da indução de falar das primeiras aprendizagens, como a tão conhecida indução do ABC.
Esta famosa indução orienta as pessoas para os seus primeiros anos de escola, quando elas estão aprendendo a escrever as letras do alfabeto. Esta indução traça o desenvolvimento próprio do senso de competência, começando com as experiências iniciais de dúvida da própria habilidade, para já ter aprendido todas as letras, e terminando com o mistério da capacidade. O que realmente fazem as histórias deste tipo mágicas é a ênfase nas revivificações sensoriais.Erickson era mestre em evocar regressões através de exemplos tirados do dia a dia da vida que são comuns para muitas pessoas, e ainda único para certo período da vida. Um exemplo do trabalho desse tipo é encorajar o cliente no transe a olhar os sapatos do pai e notar como eles parecem grandes e como os do cliente parecem pequenos em comparação. Em vez de sugestões directas, a pessoa volta para o seu quinto ano de vida através de sugestões indirectas e se coloca numa situação particular. Primeiramente a pessoa começa a participar, e ele ou ela é regredida inevitavelmente para a idade desejada: se você olha para os sapatos do pai e parecem imensos para si, aí você deve estar como uma criança pequena.
Esta metodologia parece vaga para a mente consciente, mas é efectiva na linguagem para o inconsciente.Símbolos de regressão de idade que podem ser usados para aliciar o fenómeno que envolve muitos dos mesmos mecanismos que são falados no capítulo que se fala sobre a progressão de idade. Eles incluem: relógio de mão, velhos jornais com as suas manchetes, relógio digital movendo rapidamente para trás, uma máquina segura do tempo que você pode ir para trás, páginas do calendário, etc.
Símbolos podem também ser usados para ancorar um afecto desejável na regressão de idade. Por exemplo, se numa infância cheia de memórias negativas, somente uma memória positiva é jogada como uma bolinha de gude no chão, e jogando-a numa caixa de sapatos, então a pessoa que se sente vazia e não amada, ou infeliz, pode manter uma dupla de bolinhas de gude na sua bolsa durante todo o tempo, para tocá-la ou olhá-la sempre que uma necessidade emocional balançá-la.
Modelos de regressão
Então, permita que a mente inconsciente comece a orientar-se para o tempo passado, em direcção àquele acontecimento, aprofundando-se para trás, através do tempo, até chegar àquele acontecimento. E pode parecer que você está revivendo aquela experiência novamente, pensando e sentindo como você pensou e sentir naquele momento.
Permita que a sua mente inconsciente leve-o para trás, até aquele momento... e quando você estiver lá, fala um sinal de sim... diga-me, onde você está e o que está acontecendo.Imagine que você tem diante de si o livro do tempo. E nas páginas deste livro você pode encontrar fotografias que mostra toda a sua vida. E quando você abre o livro você vê uma figura actual de si mesmo. Passe a página de um ano atrás, e veja a fotografia de você lá... e você pode estar lá novamente, agora, sentindo as coisas que você sentiu então, tendo os conhecimentos que você tinha naquela época.
Se você desejar, pode continuar virando as páginas, indo mais e mais para o fundo, em direcção ao passado, sabendo que você é capaz de parar a qualquer pondo que você perceba que é importante explorar e conhecer melhor e mais profundamente. Vá assim, virando as páginas, até chegar ao acontecimento que originou...Você vai encontrar-se, pensando, fazendo, sentindo e se comportando como uma criança de um modo mesmo infantil. Como, será esse modo não importa o que você está a fazer, você vai experimentar , exactamente como você era quando tinha esses anos. Temporariamente, você vai se esquecer do seu jeito actual de pensar, agir, sentir, e se comportar do jeito que você se comportava naqueles momentos, até me ouvir dizer essas palavras: logo você vai se sentir a crescer novamente.
Você é jovem e cada vez mais jovem, e o seu corpo é pequeno, bem pequeno, cada vez menor, os seus braços e as suas pernas são pequenos, cada vez menores, e o seu corpo todo parece cada vez menor. O quarto onde você se encontra parece enorme quando você olha ao redor...É comum nas pessoas que vivem um estado especial da mente demonstrarem de algum jeito, de alguma maneira, e as suas experiências, o que elas estão sentindo em cada momento, as várias sensações e sentimentos enquanto estão num estado especial. Você voltou no passado e tem agora menos esses anos, e está num estado de transe bem profundo.
Daqui a pouco eu vou tocar o seu ombro e, quando eu fizer isto, quero que aquela outra parte que também é sua observe o que você está experimentar, o que você está sentir neste momento, ou simplesmente ver o que está acontecer. Quando eu tocar o seu ombro novamente, a outra parte que também é sua vai afastar de si e você vai estar bem, antes de onde você está agora, um pouco antes da idade de que tanto desejou. Assim quando eu tocar o seu ombro pela primeira vez, a outra parte de si vai observar o que você está a sentir e a pensar, e quando eu tocar em si novamente você vai voltar para antes da idade actual.

A minha opinião conhecimento e sabedoria sobre a hipnose 12

Regressão de Idade! 2

Corydon Hammond (1993) é a favor de se considerar válidas muitas memórias recordadas, mesmo as lembradas durante o transe hipnótico. Ele critica as pesquisas que apontam que memórias recordadas não são verdadeiras e que as pessoas não podem distinguir entre memórias verdadeiras e falsas. Acha que o resultado se deve à análise de pessoas "normais" e não pessoas com memórias traumáticas. Acha mesmo que as pessoas lembram mais de detalhes do que de um evento todo que ocorreu. Ele acha que as memórias traumáticas vem de uma forma diferente e não de uma maneira regular como as não traumáticas.Hammond ainda acredita que por melhor que sejam as condições terapêuticas, falsas memórias podem vir e o cliente acreditar nelas. O que é clinicamente relevante, é o jeito como o terapeuta pode ajudar ao cliente fazer progressos não importando se é real ou não, ou como o terapeuta e o cliente podem fazer uso das memórias de uma maneira tal que não dependa da sua veracidade.
Orne (1979) acredita que não se deve hipnotizar pessoas para recordar sobre crimes, porque o cliente hipnotizado pode dar falsas informações com a convicção tal como se fossem verdadeiras. E além do mais fala que a hipnose forense deve ser respeitada como uma área especializada e que requer treinos especializados.
Orne (1979) acredita no uso da hipnose forense por terapeutas especializados para tal, com as sessões filmadas, e que não tenham perguntas guias.
O facto de memórias falsas serem criadas durante o transe, e os clientes poderem acreditar nelas com convicção, é uma importante descoberta para os terapeutas. Isto também fala da plasticidade da memória e a experiência do ser humano e sugere possibilidades de utilizações. É um dos exemplos de Milton Erickson com o caso "O Homem de Fevereiro". Neste caso a hipnose foi usada para ajudar a uma mulher a sentir-se como tivesse sido amada desde a sua infância, através de um tipo de implantação de memórias benignas no seu passado. A revisão da história pessoal dessa mulher foi feita através da regressão de idade, através de algumas sessões. A mulher falava durante a regressão, as pequenas experiências de cada dia que ela estava tendo como criança. Erickson ouvia de maneira centrada, para que ela internalizasse o seu carinho. Quando Milton Erickson deu-lhe a amnésia para o trabalho hipnótico esta mulher pode se sentir bem com ela mesma, amada e amável.Uma das elaborações da técnica de regressão de idade é de poder usar a habilidade do cliente para evocar amor ou uma figura que lhe dê suporte para reexperienciar o evento traumático em transe com esta figura ao seu lado.
A qualquer momento o trauma pode ser parado, justamente pela intenção do paciente, e toda situação falada com a pessoa evocada hipnoticamente. É muitas vezes útil, se esta pessoa que dá suporte mantém um contacto físico com o cliente em transe, tal como colocando a mão no ombro, ou mesmo segurando a mão do cliente. É também útil se a pessoa que dá suporte comunica importantes mensagens no diálogo com o cliente sobre as experiências desdobradas. Uma mensagem que deve ser dita ao cliente é aquela que fala que ele ou ela não é culpado, etc.
Uma segunda mensagem que pode ser comunicada pela figura que dá suporte é de que a raiva, a ira e alguns sentimentos homicidas que aparecem nas suas circunstâncias abusivas são normais. O terapeuta pode então sugerir que actos destes podem ser diferentes do que é sentido e pensado, possibilitando a pessoa permitir confortavelmente que o sentimento de raiva faça parte de sua experiência. Sabendo que são normais certas reacções de um trauma, permitirá a pessoa não desdenhar alguém ou a si mesmo por uma reacção que ela ou ele teve com a experiência.Simplesmente pelo facto da pessoa ser ouvida ou uma pessoa que lhe dê suporte pode reduzir efeitos pós-trauma. Dolan (1991) fala que estudos mostram que pessoas que experienciaram traumas similares entre si podem se ajustar diferentemente. As pessoas que foram capazes de falar do trauma com pessoas que lhe deram suporte se sentiram mais acreditadas e reagiram diferente das pessoas que não tiveram ninguém. Isto é parte da utilidade da hipnose que pode criar o mesmo feito retrospectivamente, e em situações terapêuticas os resultados são muitas vezes imediatos e impressionantes.
Utilizando esta plasticidade do funcionamento cognitivo humano, nós terapeutas podemos com a hipnose, como Milton Erickson, pensar como propositadamente e terapeuticamente acrescentar histórias pessoais com personagens e experiências que enriquecem o funcionamento presente dos nossos clientes, mas em comunhão com eles. A ideia não é desconsiderar as histórias reais ou os sentimentos dos nossos clientes, mas encontrar um caminho para suavizar o sofrimento mental através da activação de memórias transplantadas que curam, através da hipnose.
Nem todo o ser humano será um bom candidato para este tipo de regressão de idade, particularmente aqueles que precisam de tratar os seus passados mais directamente e colocar os eventos próximos e de forma consciente. Outros clientes podem não ter a habilidade de se envolver numa influência emocional de uma pessoa ou coisa imaginada.
Indicações de uso.
Os usos clínicos da regressão de idade são numerosos e variados. Eles incluem recordação de recursos, investigação do passado, estratégia de indução através da desorientação temporal, a exploração das origens dos sintomas, a abertura de canais para esquecer lembranças e experiências, ab-reação terapêutica, tratamento de amenorréia, reabilitação do pólio, resolução e integração do transe na personalidade.
A regressão de idade frequentemente é usada para ajudar clientes a lidar com experiências negativas e traumáticas que estão comprometendo o funcionamento emocional e social no presente. A segunda maior indicação para o uso da regressão é quando há uma experiência positiva no passado que seria útil resgatar.
A premissa da terapia ericksoniana é a crença no valor de reconectar clientes com os seus recursos que tenham sido usados no passado, ou que existem latentes sem que ainda não tenham sido usados para o presente problema. Exemplo: a hipnose poderia ajudar a um casal que tenha trabalhado através dos conflitos no seu relacionamento mas não tenha ainda resgatado o calor emocional dos seus primeiros tempos de encontro.
Outro uso da regressão seria com atletas que perderam a confiança em suas performances. Também com pessoas deprimidas que são capazes de vivificamente relembrar aspectos de seu passado mas que nunca tenham usado esta habilidade de maneira construtiva. Outro uso seria com fumadores para trazê-los ao tempo em que eles podiam respirar profundamente, e facilmente subirem as escadas, e sentirem o cheiro das roupas.
Quando a regressão de idade é o mecanismo do problema, a pessoa deve ser ensinada a regredir para que ela possa aprender a controlá-la, e deixando assim de ficar a mercê da mesma. A regressão de idade pode ser parte de tratamentos de pessoas orientadas ao futuro. Fóbicos geralmente imaginam as más experiências detalhadamente. Eles têm medo do que pode acontecer no futuro.
A regressão de idade pode ser usada para os clientes poderem relembrar detalhes vividos das experiências pelas quais confortavelmente passaram, dos tempos que eles foram capazes de subir, por exemplo, em edifícios altos e se sentirem bem, etc.Aliciando o fenómeno de regressão de idade.
Sugestão directa e indirecta - os esforços iniciais de Milton Erickson para aliciar a regressão de idade eram baseados, inicialmente, nas sugestões directas, as quais produziam resultados inconstantes. Erickson gastava vinte minutos no mínimo para desenvolver este fenómeno hipnótico. Ele declara que esta não é uma questão de comando hipnótico simples e rápido, mas os resultados de um processo psicofisiológico profundo que requer tempo para a organização e o desenvolvimento da resposta padrão.
Em contraste deste, Weitzenhoffer fala que ele tem feito regressões espectaculares com pacientes de sugestibilidade alta usando não mais do que um sinal.
Em respeito à aliciação da regressão de idade, Milton Erickson reportou que sugestões iniciais para a regressão deveriam ser vagas e confusas, iniciando no paciente um senso crescente de incerteza para a situação fenomenológica, e guiando-o através da desorientação, seguida de amnésia para o presente. Isto é então seguido por sugestões indirectas para a própria regressão. A transição mental é de um sentimento, crença, para o conhecimento da experiência regressiva.
Há muitos caminhos para semear o fenómeno hipnótico da regressão. O terapeuta poderia dizer "Carla, enquanto tu vais para trás... profundamente no transe...". Aqui o terapeuta tem, através das pausas, a ideia semeada de ir para trás. Palavras e frases como "retornando", "de volta no tempo", "devaneio sobre um tempo atrás quando..." e "relembrar", podem também ser usadas para semear.
Zeig (1990) conta que Milton Erickson usava como semeadura o ritmo de minar nos seus seminários de ensino. Gostava, antes da indução, de brincar com um brinquedo também como técnica de semeadura para a regressão à infância.

A minha opinião conhecimento e sabedoria sobre a hipnose 11

Regressão de Idade! 1

A regressão hipnótica de idade requer que o terapeuta use a hipnose para facilitar ao cliente voltar, experiencialmente, aos tempos anteriores de sua vida. Isto pode acontecer através de vários graus de intensidade para o cliente, dependendo do talento do cliente para a regressão de idade, a qualidade da indução e o trabalho de transe, e o grau de resistência de regredir do cliente. Enquanto a hipermnésia refere-se a uma recordação intensa, a regressão de idade refere-se ao reexperienciar, ou seja ver-se de novo nas inúmeras experiencias já passadas e que agora as quer reviver.
Milton Erickson definiu a regressão de idade como uma tendência de uma parte da personalidade de voltar a uma forma de expressão que pertenceu a uma primeira fase do desenvolvimento.
A verdadeira regressão de idade era descrita como sendo não uma experiência de memória, mas uma total reorientação em atitude, afecto ou comportamento.
Se de fato ou não as verdadeiras regressões de idade voltam para um funcionamento anterior de modos cognitivos e afectivos, esse é o tema de um considerável estudo que tem sido feito, mas com as conclusões da maioria dos experimentos onde se diz que isto não acontece.
Weitzenhoffer (1989) descreve as regressões de idade onde os pacientes mentalmente retornam ao padrão infantil de comportamento, emoção e pensamento com uma capacidade parcial de influências posteriores.
Essas regressões, caracterizadas por percepções e julgamentos apropriados da infância, são referidas como revivificações. Elas são diferentes de outras regressões de idade que são mais como hipermnésias, onde o paciente responde à experiência com atitudes e julgamentos da idade cronológica presente.
Para Weitzenhoffer, essas respostas posteriores são vistas como conceituações adultas da infância, e a elas as chama de pseudo-regressões de idade. Alguns pacientes manifestam o que Weitzenhoffer refere como um fenómeno de dualidade. Nestas situações, o passado é vivido experiencialmente através de uma dualidade, perspectivas simultâneas da infância e da vida adulta. Weitzenhoffer critica essas experiências como sendo regressões incompletas.
A regressão incompleta de Weitzenhoffer é de facto a que nós acreditamos que é mais adaptativa, ao menos é tanto quanto a psicoterapia interessa. Além do mais, é raramente terapêutico a reexperiência de eventos passados num transe isolado, pois a pessoa pode ser retraumatizada. Ao invés disto, é a preservação de algum ego observador durante a regressão que dá novos significados ou consegue uma nova perspectiva dos eventos, habilidades ou atitudes de um tempo mais cedo da vida de uma pessoa.
Há um mito entre alguns terapeutas que usam a regressão hipnótica de idade com clientes após trauma que uma pesada e histérica catarse é desejável para o seu próprio bem. Justamente, reexperienciar um evento negativo do passado ajuda pouco a pessoa.De acordo com Yapko (1986, 1990), o ego auxiliar é manifestado justamente na perspectiva vigente e precedente. Porque esta parte do indivíduo traz para a regressão de idade experiência de grande visão ou maturidade psicológica, e a pessoa pode usá-la com muito mais vantagem. Os clientes podem ganhar novos insights, rever diferentes lados de memória, ou redescobrir habilidades reprimidas num contexto emocional seguro.
De acordo com Beck, Rush, Show e Emery (1979), a modificação de velhas aprendizagens é outro caminho para usar a regressão de idade terapeuticamente, ao mesmo tempo que requer pelo menos algum envolvimento das faculdades de cognição, de síntese, de integração, do teste de realidade, do julgamento do ego adulto durante a fase do trabalho hipnoterápico.
Por exemplo: clientes podem acalmar super personalizações ("Eu devo ter sido realmente uma criança má para o pai ter sido tão doente / bêbado / cansado / irritado todo o tempo".); pensamentos mágicos ("Meu irmão mais novo ficou doente e morreu porque naquele tempo quando ele chorava toda noite eu desejei que ele morresse".); e assim por diante.Às vezes há situações onde, quer de forma inesperada ou intencional, os clientes regridem tão directamente que o terapeuta não encontra nenhuma lembrança do adulto ou do ego observador.
Clientes podem reexperienciar eventos como se estivessem acontecendo novamente e perderem a consciência do presente. Algumas vezes isto pode ser bom, especialmente se o cliente está imerso numa experiência emocional e positiva do passado, ou se o cliente reorganiza bem depois a dor da regressão e é capaz de lucrar terapeuticamente. Os clientes severamente traumatizados, com egos fracturados ou clientes perturbados com egos enfraquecidos podem ficar mais vulneráveis a este tipo de regressão vivida, sem ao mesmo tempo ter habilidades para integrar construtivamente as experiências.
Ocasionalmente, as regressões sem o acompanhamento do ego observador, aquelas onde a pessoa perde a consciência, não são boas, e a pessoa sente medo, fica desorientada, e é traumatizada novamente. Essa pessoa não pode ligar com a experiência produtivamente, ou pode ter sequelas negativas e demoradas, e dias ainda depois. É sempre o contexto que determina se é ou não indicada a estratégia terapêutica hipnótica, e não o problema presente ou diagnóstico. A personalidade, a elasticidade, a aliança, a presença ou ausência dos sistemas de suporte e assim por diante são alguns dos factores variáveis para decidir se a regressão de idade é ou não a intervenção escolhida.
Terapeutas necessitam de diferentes parâmetros nessas instâncias onde há um grande risco de uma desorganização através da regressão. Esses parâmetros incluiriam períodos pequenos de transe, mais diálogos durante o transe, mais recursos construídos antes do transe para que o cliente possa reestabilizar rapidamente ou sair da experiência.
Um outro modo de garantir um lugar seguro e confortável para o cliente no transe envolve levar a pessoa, primeiro, para um lugar do seu passado onde ela se sinta salva, invulnerável e protegida. Relembrando o lugar e se abrigando nele, o cliente aprende a ter um local seguro para o qual ele pode entrar para resgatar sentimentos de segurança por um momento, sendo capaz assim de sair de forma clara de uma experiência mental desconfortável.
Para isso Weitzenhoffer (1989) recomenda a colocação primeiro para o transe com o cliente de um sinal não verbal que servirá para reorientar a pessoa se o rapport é perdido durante o transe ou se o cliente sente que ele perdeu o controle da situação. Ele oferece a ideia do terapeuta apertar o ombro direito do cliente como um exemplo de tal sinal.
Dolan (1991) também discute a importância de fixar "deixas" associadas para os clientes com o propósito de conforto e segurança para que eles possam regressar espontaneamente do trauma, tão bem quando a importância de fixar símbolos para a segurança no presente.
A regressão de idade não é simplesmente um retorno às experiências negativas. Restaurações adormecidas ou atitudes esquecidas, perspectivas, emoções e pensamentos podem ser terapêuticos tanto quanto podem ser a recordação de um tempo, lugar, pessoa que oferece alívio, suporte, contentamento ou outras experiências prazerosas.
Estudos experimentais.
Durante anos a regressão de idade tem sido pesquisada e muitos casos de estudos reportados. Os casos de estudo são baseados no ponto de vista do examinador com os impressionantes resultados dos clientes.
Uma área de debate na literatura experimental diz respeito à questão da extensão efectiva que uma pessoa é de facto, psicologicamente, cognitivamente e emocionalmente, transportada para trás no tempo durante o trabalho hipnótico da regressão de idade. Há um grupo grande pessoas que acredita que o cliente retorna ao passado, enquanto outro grupo acredita que o cliente durante a regressão de idade experimenta alguma coisa que é emocionalmente importante, da perspectiva do presente, e não retorna ao nível de funcionamento do passado.
Dos estudos de 100 casos durante sessenta anos, chegou-se à conclusão de que a regressão de idade é um reviver subjectivo de experiências antigas como se fossem reais. Isto não tira o valor terapêutico da regressão de idade.
Um outro debate é se as memórias relembradas durante a hipnose são precisas. O autor não entra no mérito da questão. Loftas e Yapko (1995) notificam que até a presente data, estudos não demonstram a validade de memórias reprimidas de abusos da infância.
E a literatura aponta pouca ou nenhuma evidência de que memórias perdidas possam ser recuperadas durante a hipnose. Embora a catarse de certas desordens traumáticas sejam importantes, a veracidade das mesmas não são levadas em conta.
Clientes podem construir uma memória incerta (não verdadeira) durante a hipnose e acreditar nela. Assim, a crença do cliente em suas memórias não tem correlação positiva com a validade. Certas perguntas que os terapeutas fazem aos clientes durante a hipnose podem guiá-los ao desenvolvimento de falsas memórias. A questão não é perguntar, mas como perguntar.
Ex.: "Ele tocou em si?", "O que aconteceu?" – são perguntas que pressupõem que houve um toque ou aconteceu alguma coisa. Uma pergunta neutra seria: "Conte-me o que você está a sentir, agora, no transe".

Mil chá. espaço cultural na Póvoa de Lanhoso por quelhas

video

Biografia: Domingos Ferreira - Poeta e artista digital em técnica de Robótica

Convidado de honra: Domingos Manuel Sousa Ferreira - Poeta e artista digital em técnica de Robótica in http://povoadelanhosoacounoseum.blogspot.com/
Novo e-mail do autor " domingosmanuel.efa@gmail.com "
Domingos Manuel Sousa Ferreira, é um autor de obra poética, registado na Sociedade Portuguesa de autores sob o número 14194. As suas obras teem como títulos de renome; Liberdade por momento... e, Impactos da vida. Para além de poeta/escritor também é um artista com 400 obras de pintura criadas por si com cordenadas matemáticas no sistema digital e todas elas em técnica de Robótica, com o titulo " Abstracto Robotizado" registado na Sociedade Portuguesa de Autores membro numero 14194 e na Inspecção Geral das Actividades Culturais sob o número 1602.

Domingos Ferreira, nasceu em Angola, filho de emigrantes portugueses de naturalidade povoense. Fez a sua escolaridade na escola primária António Lopes. Estudou em outros locais. Tem um curso Professional de electricista de baixa tensão e com a categoria de Oficial de 1ª. Domingos trabalhou como segurança nocturno durante 22 anos no Agrupamento de Escolas Professor Gonçalo. E desde 25 de Outubro de 2010 executa as funções de Assistente Operacional na referida escola. Quem o ouvir falar Domingos, lembra um filósofo.

Domingos Manuel Sousa Ferreira, é uma pessoa tímida por excelência, não deu a sua obra ao reconhecimento na sua terra, porque acha que, as pessoas são quem lhe devem de dar valor em vez de ser ele a auto valorizar-se!

O autor fez o lançamento do seu primeiro livro em terras Flavienses, e o segundo na Póvoa de Lanhoso com apoio, correcção e prefácio de; Benjamim Andrade, Jornalista e Professor de filosofia. Coordenação Técnica, Analise e Crítica por; Eduardo Augusto dos Santos Rosa, Professor Catedrático da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. A Nota introdutória foi feita por Angélica Lima Andrade. O autor vendeu e esgotou as suas edições em vários pontos do país.

Domingos Manuel Sousa Ferreira, como artista plástico também tem dado nas vistas! As suas obras em tela, saídas do contraste digital em Robótico, teem sido divulgadas em várias frentes, Cine Convívio Fura, Inovalar Decorações, Casa do Benfica da Póvoa de Lanhoso, Cyber Café - Cyber Concerto, Cyber Mil Chás, Bar Académico, Bar do João, Theatro Clube, e outros locais mas sempre com exposições permanentes. No estrangeiro; em várias Associações Culturais Portuguesas. Na suiça, Livraria LusoLivro e Sporting Clube de Zurique, as duas em Zürich etc.

Em breves linhas descrevo o currículo do autor:

Liberdade por Momento.

“Editado em 09 de Junho de 2001 em Chaves”

Impactos da Vida.

“Editado em 27 de Dezembro de 2003 na Póvoa de Lanhoso”

O Processo dos Processos.

“Métodos de utilização do coeficiente mental”.

Comportamento Sexual Humano.

”Em análise de estudo”

Violência na Sociedade.

“Estudo sobre a sociedade contemporânea”.

Ideias Musicais.

“Esquemática e Simetria Musical poemas para canções”.

Tópicos Musicais.

“Esquemática e Simetria Musical poemas para canções”.

Impactos Musicais.

“Esquemática e Simetria Musical poemas para canções”.

Tentações Musicais.

“Esquemática e Simetria Musical poemas para canções”.

Quadras e Todas elas Tem um Tema 1.

“Continuidade do estudo comportamento evolução da mente humana”

Quadras e Todas elas Tem um Tema 2.

“Continuidade do estudo comportamento evolução da mente humana”

Isto é para Ler Meditar e Esquecer.

“Poesia surpresa”.

Robótica Abstracta 400 pinturas.

“Todas Registadas na SPA e IGAC”.

Um concurso de Televisão com o nome comercial:

“O Preço da Verdade" ® 2005

S.P.A. 14194 ®

Domingos Ferreira, esteve no incentivo de encorajamento do autor "Quelhas" aquando à edição e ao lançamento do livro; Inspiração do Compositor... esteve presente também como convidado do autor que apadrinhou, na EB 1 de Garfe no Plano da Literatura Escolar. E, ainda participou em Análise e crítica n; O livro da criança... e convidado de honra, juntamente com a Poetiza de Arosa, para apresentação do segundo livro. Domingos esteve sempre presente directo ou indirectamente, em pessoa ou com as suas obras de arte nas tournées que o mesmo autor nato povoense esteve patente.

O Poeta e Artista Plástico, reflecte que tem muitas obras para sair, só ainda o não fez, porque acha que, o tempo não trouxe nada de novo e, para terminar, Domingos Manuel Sousa Ferreira diz num dos seus; Pensamentos do Dia...

"Se pensares como eu, entenderás o que sinto."

Convidado de honra pelo autor povoense Quelhas